Plano de Aula - Zumbi dos Palmares e a resistência negra - Portal Geledés

Plano de Aula - Zumbi dos Palmares e a resistência negra

Objetivos

zumbi-dos-palmares
Identificar a vida e a luta de Zumbi dos Palmares; entender a organização dos quilombos e a situação dos negros foragidos; analisar a importância da figura de Zumbi na luta pela liberdade e sua atual ressignificação, como símbolo da consciência negra e luta contra o racismo.


Conteúdos
Brasil colônia; Escravidão e luta pela liberdade; Dia da Consciência Negra


7º, 8º e 9º


Tempo estimado

Quatro aulasMaterial Necessário:

- Mapa da África; - Filme Amistad (EUA, 1997) dirigido por Steven Spielberg-Manuscrito de planta do quilombo de São Gonçalo-RJ (disponível aqui);-Planta do quilombo Buraco do Tatu-BA (disponível aqui ); - Constituição da República Federativa do Brasil (Art. 216, § 5º; Art. 68; Art. 5º, XLII) e a lei 10.639/2003.

Desenvolvimento

1ª Aula


Inicie a aula com uma exposição sobre a utilização do trabalho escravo no Brasil, as condições e a realização do tráfico negreiro, identificando as principais regiões da África de onde os escravos foram trazidos. Destaque que os acordos feitos entre traficantes europeus e autoridades nativas africanas, garantiam a troca de produtos como aguardente, tabaco e armas por escravos. Através da utilização de um mapa, demonstre aos alunos as principais regiões fornecedoras de escravos, como Congo, Senegal, Angola e Moçambique, destacando a diversidade cultural entre as diversas comunidades e reinos nativos. Essa diversidade pode ser exemplificada, por exemplo, através da diferenciação das culturas, jeje, banto e ioruba, que tiveram grande presença no Brasil. Nesta etapa, você poderá usar cenas do filme Amistad, do diretor Steven Spielberg, que trata do tráfico de escravos.

2ª Aula


Inicie a aula com uma apresentação sobre trabalho escravo no período colonial: Explique quais eram as atividades desenvolvidas pelos escravos; em que condições elas eram realizadas, como era a alimentação e a moradia dos escravizados; a violência a que eles estavam submetidos. Questione os alunos sobre como eles acreditam que os escravos reagiam perante a situação em que viviam. A partir das respostas e dos elementos que os alunos apresentarem, demonstre que a reação sobre o cativeiro foi diversa, indo desde a aceitação e obediência para garantir um melhor tratamento, até ações mais violentas como ataques aos senhores e feitores, destruição de plantações, suicídios, assim como as fugas individuais ou coletivas. Conte que, para conseguir sobreviver, os escravos fugidos escondiam-se geralmente em locais isolados, no meio das matas, posteriormente fortificados e cercados, denominados de quilombos. Exiba aos alunos imagens de "plantas" de quilombos. Duas imagens que estão disponíveis na internet: Quilombo Buraco do Tatu, em Itapuã-BA, do século 18 e do Quilombo de São Gonçalo, no Rio de Janeiro, do século 19. As imagens servirão como ponto de partida para explicar o funcionamento das comunidades quilombolas, a organização, a existência de lideranças, assim como a produção de alimentos, criação de animais e a elaboração de ferramentas e objetos de cerâmica, por exemplo. Deve-se destacar que em alguns casos, eles faziam comércio com povoados que ficavam nas redondezas do quilombo, como foi o caso de Palmares.

3ª Aula


Nesta aula, apresente aos alunos a especificidade do Quilombo de Palmares, a sua existência durante quase todo o século 17, que chegou a ter, de acordo com informações oficiais da época, cerca de 20 mil habitantes. Acredita-se que este número tenha sido inflado, para justificar a necessidade de uma ação militar. Mesmo assim, Palmares resistiu a vários ataques e representou durante décadas um grande incômodo às autoridades portuguesas e aos senhores de engenho. Fale sobre os líderes de Palmares. Destaque como primeiro líder em Palmares Ganga Zumba, que, pressionado pelos ataques que Palmares vinha sofrendo, tenta acertar um acordo de paz com as autoridades coloniais, gerando a insatisfação entre os palmarinos, que acabaram lhe assassinando e instituindo Zumbi como o novo líder. Peça que os alunos se organizem em duplas. Solicite que busquem informações sobre Zumbi, sua história, sua luta e seu trágico fim. Disponibilize textos e livros para que eles realizem a pesquisa em sala, ou peça que visitem uma biblioteca para encontrar o material necessário. O professor pode também levar os alunos a uma sala de informática e orientar a pesquisa pela internet. Peça que os alunos elaborem um pequeno relatório sobre Zumbi.

4ª Aula


Como sequência da pesquisa iniciada na etapa anterior, questione os alunos sobre Zumbi. Inicie, com base nestas informações, um debate acerca deste personagem e a importância de sua luta pela liberdade. Nesse ponto, faça uma relação entre passado e presente, traçando um paralelo entre este personagem e sua relação direta, como símbolo dos movimentos sociais e da luta dos negros contra a discriminação e o preconceito na atualidade. Destaque para os alunos as comemorações do dia Nacional da Consciência Negra, 20 de novembro, data da morte de Zumbi. Oriente os alunos que façam uma pesquisa sobre os artigos da Constituição Brasileira que tratam dos Quilombos e seus remanescentes (Art. 216, § 5º; Art. 68), sobre o racismo (Art. 5º, XLII) e a Lei 10.639/2003 que trata do ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e da inserção do dia 20 de novembro no calendário escolar. Discuta o conteúdo das Leis com os alunos e peça que respondam de forma livre as seguintes questões: A luta de Zumbi e a resistência do quilombo dos Palmares têm algum significado para luta dos negros hoje em dia? O que as leis brasileiras nos dizem sobre a luta dos negros no passado e na atualidade?

 

Avaliação


Avalie o comprometimento dos alunos ao responderem os questionamentos e na elaboração das pesquisas e relatórios; avalie se os alunos compreenderam a resistência e luta travada pelos escravizados através dos quilombos e de personagens como Zumbi dos Palmares e o significado que esse passado de lutas assume para as lutas atuais do negro em nossa sociedade.

 


 

Leandro Pereira Matos
Mestrando em História na Universidade Federal de Juiz de Fora - Minas Gerais, professor da EM Antônio Carlos Fagundes

 

 

 

Fonte: Revista Escola

06/11/2013Portal Geledés